quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Bibliotecas de praia são um sucesso

As bibliotecas de praia são uma das atracções do concelho nesta época de Verão. Antes de chegarem à praia, os banhistas lêem um livro ou um jornal. Há publicações para todos os gostos.

Vera Batista Martins

Os jovens participantes nos programas de Ocupação dos Tempos Livres (OTL) e Voluntariado Jovem para as Florestas receberam, ontem, a visita do director regional do Norte do Instituto Português da Juventude (IPJ).Esposende e Póvoa de Lanhoso foram os locais visitados por Vítor Baltazar Dias, que tentou perceber, in loco, como estão a decorrer as iniciativas, no terreno.“

Aquilo que vi deixa-me satisfeito porque estamos a ir ao encontro dos objectivos principais dos programas que são proporcionar aos jovens umas férias agra-dáveis e úteis”, disse ao ‘Correio do Minho’ o director regional. E acrescentou: “os jovens sentem que contribuem para o bem estar da população e da comunidade e vão ganhando algum dinheiro, o que é bom para eles, porque vão sentindo alguma autonomia em relação à família e aos pais”.

Os objectivos do OTL e Voluntariado para as Florestas “foram claramente atingidos”, assegurou Vítor Dias.
O director regional levou, também, consigo algumas sugestões das gestoras dos projectos, com quem teve oportunidade de conversar.No âmbito do OTL, no concelho de Esposende existem 22 projectos para um total de 146 jovens abrangidos.Segundo a gestora das bibliotecas de praia de Esposende, Luísa leite, em dois meses, Julho e Agosto, são abrangidos um total de 14 mil utentes. “A componente familiar é muito importante e procuramos ter na biblioteca um pouco de tudo para agradar a pais, filhos e avós”, assegurou.

A consulta de livros e jornais nas bibliotecas de praia é livre e a única exi-gência que é feita aos leitores tem a ver com os jornais, que só podem ser solicitados um de cada vez.Catarina tem 17 anos e é uma das responsáveis pela biblioteca de Suave Mar, em Esposende. É a primeira vez que participa no OTL e está satisfeita com o seu trabalho. “Se tudo correr bem, para o ano volto a concorrer”, garantiu.Os veraneantes podem encontrar, ainda, as bibliotecas de praia em Cepães, Ofir e Apúlia.

Fonte: Correio do Minho
Etiquetas - Bibliotecas Móveis

1 comentário:

Luis sergio disse...

Uma Campanha Nacional - Biblioteca de Assuntos Afro-Brasileiro Lelia Gonzalez.



A Organização da Sociedade Civil de Interesse Público/ Núcleo de Estudo e Pesquisa Afro-Brasileiro de Juiz de Fora – NEPAB/ JF,Registro Civil de Pessoas Jurídicas Dra. Lucy de F. Hargreaves sob o nº. 5164 livro A / 7 fls 045 em 06 / 08 / 2005. foi instituído legalmente em 06 de Setembro de 2005 e Fundado em Março de 2002, nesta Cidade onde tem sede e seu foro, é uma Associação Civil e Científica de duração ilimitada, sem finalidade econômica, e tem por finalidade, promover o estudo, a pesquisa e a divulgação da história, geografia, promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e de outros valores universais; do desenvolvimento econômico, social e combate à pobreza.
Para efetivamente desenvolvermos o que pensamos, formulamos um Projeto de Formação da Biblioteca de Assuntos Afro-Brasileiros Lélia Gonzalez, (militante e intelectual do Movimento Negra brasileira já falecida) aberto a toda sociedade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais e do Brasil.
As ações do Projeto deverão proporcionar aos participantes, pesquisadores, graduandos, pós-graduandos, militantes negros e demais interessados, oportunidades de aprofundar conhecimentos, experiências, comportamentos e situações de aprendizagem, com novas formas de construir e de entender as relações raciais, podendo ser protagonistas de uma historia de inclusão, da melhoria da qualidade de vida, das informações e mudanças que a realidade exige e que em pouco tempo poderá culminar numa nova sociedade cultural, política, econômica e religiosa.
Contamos atualmente com cerca de + 4000 mil livros, objetos de artes e outros matérias relacionados à questão afro-brasileira. A Formação da Biblioteca de Assuntos Afro-Brasileira Lélia Gonzalez, materializa uma conquista da Comunidade Negra de Juiz de fora no momento em que discutimos as Políticas públicas de ações afirmativas com o ingresso de estudantes negros (as) na Universidade Federal de Juiz de Fora e outras Universidades do país, através da modalidade de cotas étnicas, reafirmação do Prouni que garante vagas para alunos carentes nas Faculdades Particulares. O processo de inclusão torna-se oportuno para o País e com certeza proporcionará o crescimento econômico, cultural, político e religioso de toda a Sociedade Brasileira.
Para a consolidação desta iniciativa e a implantação deste valioso acervo e que importante para a verdadeira integração e formação de uma sociedade pluriétinica livre de racismo e discriminação, precisamos contar com sua cooperação solidária.(Doação).
Queremos a inclusão de toda a sociedade brasileira no processo democrático e aos negras e negros brasileiros o direito ao conhecimento de sua história e a sua valorização como indivíduos de etnia africana. Desde já colocamos a sua disposição


Luis Sérgio da Silveira - Secretário Executivo do Núcleo de Estudo e Pesquisa Afro-Brasileiro e Biblioteca de Assuntos Afro-Brasileiros Lelia Gonzalez.

Rua: Pe. Café, número, 484, São Mateus – Juiz de Fora – Minas Gerais. Cep. 36016-450 -Caixa Postal: 1100 agencia central – 36001-970 – JF / MG –E-mail: dmalevisilveira@hotmail.com


Luís Sérgio da Silveira